English version

Poemário

A minha mão é uma aranha.

Tece as letras ao sair dos dedos
E forma um poema em teia
Entre as visões e os enredos.

Em atalaia espera envolver-se em dor,
Mas surpreendentemente ilude-se
E é abraçada pela seda do amor.

A Três Vozes, in Um Grito Em Liberdade, © 2008



Desenvolvido por Bizview - Sistemas e Comunicação